sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Bebidas energéticas não são recomendadas durante a atividade física

 
Verão é a época do sol, do namoro, das badalações e agitos. É nesta estação de intenso calor que médicos e especialistas chamam a atenção para o consumo excessivo de bebidas, principalmente àquelas misturadas com energéticos.

Segundo o médico cardiologista André Fontes Dias, jovens e adolescentes, costumam procurar ter mais energia para participar da maratona de festas e terminam abusando das bebidas energéticas, o que é perigoso para a saúde, alerta o médico.

Segundo ele, a fórmula de composição desse tipo de bebida contém grande quantidade de componentes que excitam o coração e podem aumentar os batimentos cardíacos.

Geralmente, a fórmula de uma bebida energética é composta de cafeína, ginseng, vitamina B, açúcar e outras ervas. De acordo com o médico, essa composição pode causar problemas cardíaco a longo prazo, fazendo com que o coração trabalhe acima de sua capacidade. Além de prejudicar o coração, os energéticos também podem causar vários problemas como contração muscular, distúrbios do sono e até estresse.

Misturada com o álcool, a bebida causa ainda mais danos. Bebidas energéticas não são recomendadas durante a atividade física. A quantidade de açúcar que elas oferecem ao organismo é excessiva e podem causar dor no estômago. Por serem carbonatadas, não hidratam o organismo, explicou o cardiologista.

Disparo do consumo

Segundo dados da Associação Brasileira das Indústrias de Refrigerantes e Bebidas Não Alcoólicas (Abir), o consumo de bebidas energéticas disparou no Brasil nos últimos anos, com um crescimento de 25% só de 2010 para 2011. Se a mistura da bebida com o álcool nas baladas já preocupava os médicos, agora o problema está na associação do produto a estilos de vida saudável.

“Quem abusa desses compostos em busca de pique extra para aguentar uma agenda cheia demais pode colocar a saúde em risco, alerta o médico André Fontes Dias.

Já o médico Fábio de Brito, da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) vai mais além e diz que os energéticos são perigosos para a saúde. O energético misturado a um simples comprimido de paracetamol para a dor de cabeça, pode levar a óbito repentino por insuficiência hepática.

E se misturado com outras bebidas alcoólicas tem efeito devastador no organismo atacando vários órgãos vitais como os rins, por exemplo, alerta o especialista. Segundo ele, essa preocupação com o efeito dos energéticos atinge os cardiologistas do mundo inteiro, porque a bebida é também contraindicada para vários grupos populacionais, sob o risco de ocorrências cardiovasculares, gastrite, desidratação e dependência.

O professor de Educação Física, Eduardo Ferreira, em seu doutorado, estudou os efeitos do álcool com energéticos em camundongos.

“Enquanto os camundongos que receberam só álcool ficavam prostrados, os que receberam a combinação ficavam hiperexcitados. “Isso nos leva a crer que o sujeito pode ficar embriagado, mas achando que está bem.

A excitação leva a um erro de julgamento”, diz. Combinar álcool com energéticos se mostrou uma prática comum entre os jovens brasileiros. Em um levantamento feito pela Secretaria Nacional de Políticas Sobre Drogas (Senad) foi constatado que 74,3% dos 18 mil estudantes ouvidos já experimentaram a mistura.

Portanto, diz Eduardo Ferreira, cuide-se na ingestão dessas bebidas perigosas ao organismo, tome com moderação e, principalmente, sem misturas doidas que podem te levar a morte ou a sequelas ao resto da vida. Divirta-se divertindo e não se matando!!!
 
Fonte: Tribuna da Bahia, via Portal da Ed. Física
Temos como intuito postar notícias relevantes que foram divulgadas pela mídia e são de interesse do curso abordado neste blog. E por isso esta matéria foi retirada na íntegra da fonte acima citada, portanto, pertencem a ela todos os créditos autorais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compartilhe conosco suas ideias.

Postagens Recentes: